Casualty do Capitão Mainwaring | Mau Medicina

nonsense.jpg


nonsense.jpgFinal de abril de 2016. À medida que os consultores hospitalares e os médicos da equipe em toda a Inglaterra se preparam para a primeira caminhada completa de médicos juniores, preparativos semelhantes acontecem em Walmington-on-Sea…

Cena: O Departamento de Perdas do Hospital Geral Distrital local. Mainwaring e seu pelotão estão de frente um para o outro. Todos estão usando roupas largas de teatro com estetoscópios envoltos na moda moderna em torno de seus pescoços, exceto Wilson, que está usando um macacão de príncipe de Gales, com um grande alfinete de neurologista na lapela. Frazer tem no espelho de cabeça de um cirurgião otorrinolaringologista, virado para cima, e a luz reflete como um heliógrafo enquanto ele olha para cá e para lá. Mainwaring tem uma pistola de sinalização do vintage da Segunda Guerra Mundial em um coldre em um cinto, estritamente apenas para uso de emergência.

PRINCIPAL: Apresse-se e troque de roupa, Wilson.

WILSON: Isso é realmente necessário, senhor? Não estou planejando fazer nada. Você vê, isso não é o que nós, neurologistas, fazemos.

PRINCIPAL: É claro que é necessário. Estamos aqui para mostrar que estamos quatro atrás dos nossos médicos e estamos prontos, dispostos e capazes de fazer tudo o que puderem. Quem sabe, talvez melhor ainda. Na verdade, os pacientes vítimas de acidentes nunca terão sido tão bons.

JONES: Isso mesmo senhor! Um bom trabalho de trabalho bem feito como qualquer júnior, senhor!

PRINCIPAL: Esse é o espírito Jones. Agora olhe aqui homens. Nós…

WILSON: Eu vou sair para me trocar, então senhor.

PRINCIPAL: Não tão rápido, Wilson. Eu tenho algo importante para dizer a todos vocês. Entende…

WILSON: Mas eu pensei…

PRINCIPAL: Não, você não fez. Eu faço o pensamento por aqui. Agora, quero apenas definir o tom para toda a campanha durante a greve. Há aqueles que dizem que alguns de nós, seniores, estão chegando, mas quando o NHS liga, estamos prontos. (pausa para efeito dramático) Você vê, nós éramos todos os médicos juniores uma vez, cada homem nosso. Nós aqui para mostrar que, quando o governo fica com as mãos no alto, nós, médicos, juniores e seniores, estamos juntos nisso …

JONES: Permissão para falar, senhor! Você não pode dizer isso, senhor! Isso é o que aquele desonesto Sr. Cameron continua dizendo, e só na semana passada ele foi pego com a mão no biquíni de outra pessoa, senhor, e todo o negócio explodiu, senhor! Você vê, eles não gostam disso, senhor!

WILSON (extra suavemente): Eu acho que você descobrirá que foram as Bahamas, Jones, e não foi o fim, mas o resultado final.

MAINWARING: Pare de bater no mato, Wlison.

WILSON: Se você diz, senhor …

(A porta se abre, Hodges entra usando um chapéu de lata com as letras CQC escritas nele.)

HODGES: Você não pode entrar aqui, Mainwaring, fingindo que é um médico. Vou inspecionar você imediatamente, aqui e agora.

MAINWARING: Oh não você não é. Nós não precisamos nos preocupar com esse tipo de bobagem por aqui. Nós temos trabalho a fazer. Saia.

WILSON (sorrindo uniformemente para Hodges): Você ouviu o que o homem disse.

HODGES (deixando): Estou te avisando, Mainwaring. Estou te avisando.

MAINWARING: Homem estúpido. Agora, como eu estava dizendo …

GODFREY: Toda essa emoção está chegando a mim. Eu acho que estou me sentindo um pouco desanimada …

MAINWARING: À vontade, Godfrey. Pike, pegue uma cadeira para Godfrey se sentar.

GODFREY: Eu… eu… (colapsa)

JONES: Não entre em pânico! Não entre em pânico!

FRAZER (virando os olhos): Godfrey está triste, sabe quem é o próximo. Eu aviso "todos e cada um, nós somos incrédulos!"

MAINWARING (ajoelhado ao lado de Godfrey e tomando seu pulso carotídeo): Sem pulso. Afaste-se, homens, eu vou começar a RCP. (liga as mãos e as coloca no esterno da Godfrey)

WILSON: Tem certeza de que é sensato, senhor? Quero dizer, já faz um tempo desde que você fez esse tipo de coisa …

MAINWARING: Pare de se preocupar, Wilson. (começa a fazer compressões, um tanto devagar e mecanicamente) Há a vida de um homem em risco aqui.

WILSON (tirando o alfinete de chapéu de sua lapela e tocando a ponta afiada, como se imaginasse o que ele faria com ela): Acho que você vai achar que precisa ir um pouco mais rápido que isso. (Abertura de barras da trilha do Bee Gee começar em segundo plano) É chamado de "Staying Alive", senhor.

MAINWARING (ainda não é bem a tempo da música): Pare de murmurar, Wilson. Claro que é sobre ficar vivo.

ANDADOR (aparte a Pike): Get com a batida, folgado. (Pike resmunga)

ANDADOR (para o quarto em geral): Eu vou pegar o desfile …

MAINWARING (entre as respirações): Apresse-se, cara, não temos tempo a perder. (Walker sai; trilha sonora desaparece)

JONES (ajoelhando-se ao lado de Godfrey, oposto Mainwaring): Permissão para falar, senhor! Eu gostaria de ser voluntário, senhor, para fazer algumas compressões!

PRINCIPAL: Esse é o espírito. Siga em frente, Jones. (Mainwaring cambaleia para uma posição em pé enquanto Jones assume)

WILSON: Tem certeza de que está tudo bem, senhor? Você parece bem mais vermelho do que de costume, senhor. Espero que você não tenha tensionado nada importante (Mainwaring olha para trás. Walker volta a enrolar uma caixa com as letras "Propriedade do NHS: Não para revenda", escrito nele)

MAINWARING (chegando a altura máxima): Onde você conseguiu isso, Walker?

WALKER: Em volta do senhor. Eu tenho estado de olho nisso.

MAINWARING: eu vejo. Agora comece a trabalhar. Nós não temos um momento a perder. (Walker abre a caixa e pega dois remos nas pontas e coloca-os no peito de Godfrey)

WALKER: Fique claro!

JONES: Permissão para parar as compressões, senhor! (passos para trás)

MAINWARING: Vá em frente, cara!

(Walker dispara desfibrilador, Godfrey sacode)

PIQUE (sorrindo): Chocante …

PRINCIPAL: Seu garoto idiota. Tente de novo, Walker.

(Walker dispara um desfibrilador pela segunda vez. Godfrey se sacode, se agita e depois se senta atordoado)

FRAZER: Levantando o morto! Eu te aviso, nada de bom virá disso!

WILSON (ultra suavemente): Bem, suponho que você diria isso, você não, dada a sua linha.

PRINCIPAL: Fique quieto. Godfrey, como você está se sentindo?

GODFREY: Não posso reclamar senhor, acho que devo ter apenas desistido. Um vê, como você envelhece. Quando é chá?

MAINWARING: Houve um pouco mais do que isso. Agora vamos para a ala. Nós vamos voltar e te ver mais tarde. Agora homens, o que eu estava dizendo sobre a greve de amanhã? É isso mesmo, éramos todos médicos juniores uma vez. Podemos ter trabalhado mais horas naquela época, (começando a ficar nostálgico) mas nossos hospitais cuidaram de nós melhor naquela época. Todos sentimos que pertencíamos, todos de uso. Os juniores de hoje não têm tanta sorte. Devemos a eles, e acima de tudo aos nossos pacientes, estar ombro a ombro com…

WILSON: Não tenho certeza se é isso mesmo que você quer dizer senhor. Depois de todos os juniores estarem do lado de fora, nas linhas de piquete, e nós estaremos do lado de dentro, fazendo o que os juniores normalmente fazem. Se ficarmos ombro a ombro com eles …

MAINWARING: Pare de tentar ser esperto, Wilson. Não te levará a lugar algum.

WILSON: Eu só estava tentando ajudar, senhor.

PRINCIPAIS: Bem, não. Eu dou os discursos por aqui, vejo e você ouve. Agora, como eu estava dizendo, homens …

Bares de abertura de "Quem você acha que está brincando Sr. Sec Saúde" chute como créditos finais começam a rolar …

É claro que, se uma ou mais saídas dos médicos juniores acontecerem no final deste mês, não será um "Exército dos pais" de ex-médicos do último escalão do A & E, mas os médicos no topo do jogo. No mínimo, o atendimento clínico pode até melhorar, pois mais pacientes serão atendidos por médicos mais experientes, embora isso não impeça os indecentes e os ingênuos – sabemos quem eles são – de reivindicar o contrário. Mas, mesmo que haja "mortes inesperadas", será praticamente impossível atribuir a morte direta ou indiretamente à greve. Nenhum médico, ou médico-legista, vai entrar em "Causa da morte: Greve dos Médicos Júnior" em um atestado de óbito.

Em vez disso, o principal efeito será no atendimento de rotina: mais operações eletivas e clínicas regulares canceladas, à medida que os consultores e os médicos da equipe trocam os cuidados de rotina pelos cuidados de emergência. Nenhum médico quer mais interrupção nos cuidados de rotina, mas dada a imposição de um contrato profundamente e profundamente viciado baseado na bizarra noção de colocar um litro de pote, combinado com um governo que se recusa a falar, que outras opções realistas fazem. ter?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *