Uma proposta de trinta anos | Observador de fundos mútuos

Por Charles Boccadoro Novo Bull surge em um mercado mais arriscado do que parece O S&P 500 está mais uma vez em seus máximos. Os dados de retorno total do mês encerrado em julho de 2020 indicaram que o índice S&P 500 havia recuperado toda a redução de março, marcando oficialmente o fim do bear CV-19 e declarando um novo mercado altista, que começou em abril passado. Ao contrário dos ursos, que são anunciados assim que o mercado desmaia 20% do pico anterior, os touros são conhecidos apenas em retrospecto … embora as definições concedidas variem. Normalmente, um touro precisa subir 20% de seu último rebaixamento máximo e, subsequentemente, atingir seu próximo máximo histórico; basicamente, ele precisa voltar à superfície antes de se tornar oficial. Isso aconteceu em julho. A tabela a seguir resume os mercados de baixa e alta dos EUA desde a Grande Depressão, que atualiza a versão encontrado em “A Presumptive Bear Ends an 11-year Bull Run.” Como antes, os resultados apresentados a seguir usam o banco de dados mensal mantido por Amit Goyal, mas atualizado conforme apropriado de janeiro de 1960 a julho de 2020 com nosso Lipper Global Data Feed. Os identificadores Ciclos 1-6 são…

Leia Mais

Pés de Barro | Observador de fundos mútuos

Por Edward A. Studzinski “Publicidade é o barulho de uma vara dentro de um balde de lavagem.” George Orwell, cap. 3, Mantenha o Aspidistra voando (1936) Recentemente, tive a oportunidade de falar com um gerente de valor de longo prazo que lamentava o quanto o valor estava em desuso e o quanto estava prejudicando o desempenho dele e de sua empresa e os retornos aos investidores. A gênese desse desempenho abaixo da média, que se encontra repetido em muitas empresas orientadas para o valor, é uma saída de estar sintonizado com o valor intrínseco do negócio das empresas investidas, substituído por um foco de laser pelos analistas e portfólio de sua empresa gestores sobre quais ações estão subindo porque o mercado os favorece. Mas, até certo ponto, o lamento está correto – a maioria dos investidores em valor está passando por um momento terrível. Dito isso, vejamos algumas empresas que conseguiram apresentar um bom desempenho em um período de crise financeira nos mercados e na economia. Por exemplo, Fundo Sequoia conseguiu se recuperar de seu grande erro com a Valeant. No acumulado do ano, o fundo tem um retorno total superior a 13%. Durante o primeiro semestre deste ano, eles…

Leia Mais

O Longo (e o Curto) disso: Opções Longo-Curto de Nível Superior

Por David Snowball Escrevendo em Jornal de Wall Street, Simon Cable declarou “Os fundos ‘Long-Short’ perderam seu momento” (8/9/2020, paywall). Seu argumento: “A volatilidade do mercado de ações na primeira metade de 2020 deveria ter sido um período quase perfeito para os fundos mútuos ‘long-short’ e fundos negociados em bolsa fazerem uma matança. Infelizmente, menos de um em cada três desses fundos gerou dinheiro para investidores durante este período tumultuado. ” Sua análise foi que os movimentos do mercado eram muito rápidos para a maioria dos investidores capitalizá-los (mesmo que reconhecessem a oportunidade). Ele nota que Neuberger Berman Long-Short (NLSIX) arrecadou mais dinheiro e que o ProShares Long Online / Short Stores ETF teve o melhor desempenho YTD. “A maioria dos fundos é medíocre” não é um terrível uma visão útil. Decidimos identificar os 10 fundos long-short com melhor desempenho no acumulado do ano (todos apresentaram retornos de dois dígitos) e olhar para suas perspectivas de longo prazo. Fizemos isso perguntando (a) se eles se qualificam como fundos MFO Great Owl e (b) se eles também foram os 10 maiores fundos nos últimos períodos de 3 e 5 anos. Nossas descobertas são tranquilizadoras e, esperamos, úteis. Todos os sete MFO…

Leia Mais

Três categorias de fundos híbridos que você deve conhecer

Agosto de 2020 4 min ler A indústria indiana de fundos mútuos passou por uma grande transição em 2017; quando Sebi definiu as categorias de fundos mútuos para trazer uniformidade nos fundos entre os AMCs. Destas categorias, três categorias de fundos híbridos são extremamente úteis para os investidores, se usadas da maneira certa. Fundos híbridos agressivos, Efundos de poupança de qualidade, e Balanced Advantage Funds são três categorias de fundos híbridos que examinaremos em detalhes hoje. Fundo Híbrido Agressivo Os fundos híbridos agressivos (ou fundos balanceados, como eram conhecidos) são fundos com uma mistura de patrimônio líquido e dívida. De acordo com a definição do Sebi, os fundos híbridos agressivos devem investir 65% -80% do total de ativos em patrimônio líquido e instrumentos relacionados a patrimônio e 20% -35% do total de ativos em instrumentos de dívida. Assim, considerando essa estrutura de fundos, esses fundos são fundos de ações com pequena exposição em instrumentos de dívida. No entanto, para a exposição a ações, os limites de capitalização de mercado não são fornecidos. Portanto, o gestor do fundo pode investir em ações com qualquer valor de mercado com base em sua visão de mercado. Da mesma forma, para a exposição à…

Leia Mais

Mudanças de gerente, julho de 2020 | Observador de fundos mútuos

Ticker Fundo Fora com o velho Com o novo Dt AGFQX 361 Global Managed Futures Strategy Fund Com efeito imediato, Jason Leupold e John Riddle não servirão mais como gerentes de portfólio do fundo. Blaine Rollins e Aditya Bhave continuarão a servir como administradores de portfólio do fundo. 20/07 AMFQX 361 Fundo de Estratégia de Futuros Gerenciados Com efeito imediato, Jason Leupold e John Riddle não servirão mais como gerentes de portfólio do fundo. Blaine Rollins, Aditya Bhave e Randall Bauer continuarão a servir como gestores de carteira do fundo. 20/07 EGALX Aberdeen International Real Estate Equity Fund Com efeito imediato, todas as referências a Jon Stewart no Prospecto e na SAI são eliminadas. Svitlana Gubriy e Toshio Tangiku permanecem com o fundo. 20/07 vários AdvisorShares Dorsey Wright FSM US Core ETF, AdvisorShares Dorsey Wright FSM All Cap World ETF, AdvisorShares Dorsey Wright Alpha Equal Weight ETF, AdvisorShares FolioBeyond Smart Core Bond ETF, AdvisorShares Pure Cannabis ETF e AdvisorShares Vice ETF O Sr. Robert Parker não atua mais como gerente de portfólio dos fundos. O Sr. Dan Ahrens substituiu o Sr. Parker como gerente de portfólio dos fundos. 20/07 AAIPX American Beacon International Equity Fund A partir de 1º de…

Leia Mais

Investing in the Coming Decade

By Charles Lynn Bolin I listened to Peter Navarro’s lecture, “The Modern Scholar: Principles of Economics: Business, Banking, Finance, and Your Life” (2005) on a recent return flight to the U.S. The discussion on budget deficits was timely. The planes, airports, and hotels had very few travelers. The hotel shuttle to the airport was not running. Coronavirus cases are increasing with vaccines not expected until early 2021. For reasons described in this article, I reduced my exposure in July for stocks from 25% to 20% by trading higher-risk funds that have risen this year for less popular funds such as value as well as funds to reduce downside risk. This isFelix. She made numerous edits to this article for me. Source: Felix In Conservative Portfolios of Funds for This Bear Market last March, I explained my approach to investing according to the business cycle. This article describes how I am shifting from a “returning to growth” scenario to a more defensive one. My sentiment for the month comes from the investment team at Wealthspire Advisors in Another Ride on the Roller Coaster?, who wrote the following statement: “…you have enjoyed a ten-year bull market and can now meet your financial…

Leia Mais

H.R. Pufnstuf: 10 funds to buy when things get rough.

By David Snowball Jimmy, Freddy the magic flute and Mayor Pufnstuf (right). H.R. Pufnstuf was the answer to the question, “Who’s your friend when things get rough?” Pufnstuf starred in a Sid and Marty Krofft cult classic TV show which debuted during “the summer of love” in 1969 and continued in reruns as late as 1999. The show’s theme song assured us that Pufnstuff, Mayor of The Living Island, was “your friend when things got rough” because “he knew just what to do.” (Take care with clicking on that link. I found myself humming bits of a cheery, half-forgotten, possibly drug-tinged theme song for an hour afterward.) Jimmy, Freddy the magic flute and Mayor Pufnstuf (right). In the series, “rough” was mostly occasioned by the evil Witchiepoo rather than interventionist bankers, inconsistent policy-makers, a rapidly mutating virus or a horde of bored new investors learning to day-trade. As little as we like it, we know that even the most brilliantly-managed, risk-conscious fund is going to suffer terrible losses if the market this fall goes to pot. (Sorry, another Pufnstuf joke.) The Great Owls, the funds with the most consistently excellent risk-adjusted returns, as a group dropped between 13% (Akre Focus,…

Leia Mais

Selecione MF: Crescimento vs Investimento em Valor

Agosto de 2020 3 min ler Todos os fundos mútuos de ações na Índia podem ser divididos em dois estilos principais de investimento: Crescimento vs. Investimento em valor. Mesmo que haja uma categorização de fundos definida por Sebi; cada gestor de fundos segue um desses dois estilos de investimento ao criar uma carteira. Ambos os estilos de investimento têm sua própria base de fãs. Então, qual é exatamente a diferença entre fundos de crescimento e fundos de valor? E qual estratégia de investimento ajudará a gerar melhores retornos? Vejamos esses estilos de investimento em detalhes neste blog do Select MF. Crescimento x investimento em valor – a diferença O investimento em crescimento é um estilo de investimento que investe em ações com um crescimento estelar tanto dos lucros quanto do preço das ações. Na maioria dos casos, as ações de crescimento estão superfaturadas porque o mercado espera que as ações tenham um desempenho fundamentalmente bom e, portanto, as compra antecipadamente. Isso aumenta o preço das ações em comparação com seus ganhos. As ações de crescimento podem superar o mercado no curto prazo devido ao aumento do interesse e da participação do mercado. No entanto, as ações de crescimento também são…

Leia Mais

Você deve investir nessa categoria de fundo de dívida?

Julho 2020 3 leitura mínima Os fundos da dívida chamaram muita atenção nos últimos meses; principalmente por duas razões: a crise enfrentada pelos fundos da dívida da Franklin Templeton e o desempenho superior de algumas categorias de dívida sem risco de crédito. Uma dessas categorias de fundos de dívida que superou os fundos de ações é o Banking & PSU Debt Fund. Portanto, neste blog, examinaremos os detalhes do Fundo de Dívida Bancária e PSU, o motivo de seu desempenho e a adequação dessa categoria aos investidores. O que é o Fundo de Dívida Bancária e PSU? O regulador de fundos mútuos, a SEBI, criou a categoria de fundo de Dívida bancária e de PSU em outubro de 2017. De acordo com a definição de SEBI, O fundo de Dívida Bancária e PSU deve ter um investimento mínimo de 80% em instrumentos de dívida de bancos, empresas do setor público e instituições financeiras públicas. Em dezembro de 2017, o SEBI também adicionou títulos da Municipal Corporation como um investimento aceitável nessa categoria. Como você pode ver, a SEBI deu um mandato claro de investimento que define o universo de investimentos do Banking & PSU Fund da Dívida. No entanto, não…

Leia Mais